Nódulos hepáticos

Ir em baixo

Nódulos hepáticos

Mensagem  Diógenes Coelho em Sex Dez 20, 2013 9:09 pm

O diagnóstico diferencial de lesões hepática sólidas é difícil, mas muitos podem ser realizados de forma não invasiva. Em alguns casos, muitas lesões sólidas podem ter componentes císticos, como pode ser visualizado nos hemangiomas e em tumores com áreas necróticas. Pelo contrário, lesões com aspecto predominantemente cístico podem conter áreas sólidas, particularmente em casos de lesões malignas.

Há inúmeras causas de lesões sólidas, tanto malignas quanto benignas. É importante estabelecer o correto diagnóstico, especialmente quando potenciais terapias existem. O diagnóstico leva em consideração a história clínica, fatores de risco, achados laboratoriais, exames de imagem e, em alguns casos, o exame anatomopatológico.

Enquanto a maioria das lesões se apresentam como massas solitárias, múltiplas lesões podem ser visualizadas em pacientes com hemangiomas hepáticos, hipertensão portal não-cirrótica idiopática, nódulos regenerativos, carcinoma hepatocelular e doença metastática.

As lesões hepáticas sólidas benignas mais comuns são o hemangima hepático, hiperplasia nodulas focal, adenoma hepático, hipertensão portal não-cirrótica idiopática (incluindo nódulos hiperplásicos regenerativos) e nódulos regenerativos.

As lesões hepáticas malignas mais comuns são o carcinoma hepatocelular, o colangiocarcinoma e a doença metastática.
Os pseudotumores inflamatórios são raros em lesões sólidas benignas hepáticas, compostas principalmente por tecido fibrótico. Neste caso, a etiologia é desconhecido, mas a lesão ocorre frequentemente associada à doenças crônicas sistêmicas.

A maioria dos paciente com lesões hepáticas sólidas são assintomáticos, sem achados ao exame físico ou aos exames laboratoriais.
Entretanto, alguns pacientes podem possuir achados relacionados à lesão (dor, prutrido, massa palpável e etc) ou às condições predisponentes (eritema palmar ou sinais de hipertensão portal na cirrose, por exemplo).

Para o diagnóstico, são essenciais os exames laboratórios e a avaliação imagenológica. Caso os achados laboratoriais e imagenológicos sejam inconclusivos e a propedêutica for mudar a conduta, a biópsia por aspiração através de agulha fina é indicada. A ressecção cirúrgica diagnóstica é indicada para lesões sintomáticas e em casos nos quais o carcinoma hepatocelular não pôde ser excluído apelas nos exames laboratoriais e imagenológicos, incluindo a biopsia após punção por agulha fina.

Schwartz JM, Kruskal JB. Solid liver lesions: Differential diagnosis and evaluation. UpToDate, 2013.

Diógenes Coelho

Mensagens : 7
Data de inscrição : 21/11/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum