Diagnóstico de DRGE

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Diagnóstico de DRGE

Mensagem  Convidad em Dom Jun 09, 2013 7:59 pm

American College of Gastroenterology

O diagnóstico da DRGE é feito através de uma combinação de apresentação dos sintomas, teste objetivo com endoscopia e monitorização ambulatorial do refluxo, e resposta à terapia anti-secretora. Os sintomas de azia e regurgitação são os mais confiáveis para fazer um diagnóstico presuntivo baseado na história apenas; no entanto, estes não são tão sensíveis como a maioria acredita. Uma revisão sistemática de sete estudos encontrou a sensibilidade da azia e regurgitação para a presença de esofagite erosiva de 30-76% e a especificidade de 62-96%. Terapia empírica com IBP é uma abordagem razoável para confirmar DRGE quando se suspeita de pacientes com sintomas típicos. A resposta à terapia idealmente confirmaria o diagnóstico; no entanto, uma meta-análise sugeriu algumas limitações desta abordagem, com uma sensibilidade de 78% e especificidade de 54%. Sendo assim, o teste de IBP tem algumas limitações.

Recomendações

1. O diagnóstico presuntivo da DRGE pode ser estabelecido no achado de sintomas típicos da azia e regurgitação. Terapia empírica com IBP é recomendada neste cenário.

2. Pacientes com dor torácica não cardíaca, devido à suspeita de DRGE devem ter avaliação diagnóstica antes da instituição da terapia. Uma causa cardíaca deve ser excluída em pacientes com dor no peito antes do início de uma avaliação gastrointestinal.

3. Radiografias de bário não devem ser realizadas para diagnosticar DRGE.

4. A endoscopia não é necessária na presença de sintomas típicos de DRGE; é recomendada na presença
de sintomas de alarme e para o rastreio de pacientes em alto risco de complicações. Repetição da endoscopia não é indicada em pacientes sem esôfago de Barrett, na ausência de novos sintomas.

5. Biópsias de rotina do esôfago distal não são recomendadas especificamente para diagnosticar a DRGE.

6. A manometria esofágica é recomendada para avaliação pré-operatória, mas não tem nenhum papel no diagnóstico da DRGE.

7. Monitorização ambulatorial de refluxo esofágico é indicada antes da consideração de terapia endoscópica ou cirúrgica em pacientes com doença não-erosiva, como parte da avaliação de pacientes refratários à terapia com IBP, e em situações em que o diagnóstico de DRGE está em questionamento. A monitorização ambulatorial de refluxo esofágico é o único teste que pode avaliar associação do sintoma com refluxo.

8. Monitorização ambulatorial de refluxo não é necessário na presença de um segmento curto ou longo de esôfago de Barrett para estabelecer um diagnóstico da DRGE.

9. Triagem para infecção por Helicobacter pylori não é recomendada em DRGE. Erradicação da infecção por H. pylori não é rotineiramente necessária como parte da terapia antirefluxo.


Referência: http://gi.org/wp-content/uploads/2013/03/ACG_Guideline_GERD_March_2013.pdf



UpToDate

DIAGNÓSTICO - O diagnóstico da doença de refluxo gastroesofágico (DRGE) pode ser baseado nos sintomas clínicos do paciente. Em pacientes com qualquer uma das manifestações clínicas descritas abaixo, o diagnóstico presuntivo de DRGE pode ser feito:

Azia (pirose), regurgitação e disfagia (mais comuns). Uma variedade de manifestações extraesofágicas têm sido descrita, incluindo broncoespasmo, laringite e tosse crônica.
- A azia é normalmente descrita como uma sensação de queimação na região retroesternal, mais comumente experimentada no período pós-prandial.
- A regurgitação é definida como a percepção do fluxo do conteúdo gástrico refluído para a boca ou hipofaringe. Os pacientes geralmente regurgitam material ácido misturado com pequenas quantidades de alimento não digerido.
- A disfagia é comum no ambiente de azia de longa data, e comumente atribuída à esofagite de refluxo, mas é potencialmente indicativa de uma estenose.

Outros sintomas da DRGE incluem dor no peito, sensação de globus, odinofagia, e náuseas.

A resposta à terapia anti-secretora não é um critério diagnóstico de DRGE.

No entanto, em um subgrupo de pacientes, os testes diagnósticos são necessários para confirmar o diagnóstico de DRGE e para descartar outros.

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL - esofagite infecciosa, esofagite por comprimidos (irritação local pelo atrito), esofagite eosinofílica, úlcera péptica, dispepsia não ulcerativa, doença do trato biliar, doença arterial coronariana, e alterações motoras do esôfago. Os sintomas por si só não distinguem de forma confiável esses transtornos. Do mesmo modo, a gravidade e duração dos sintomas se correlacionam mal com a gravidade da esofagite.

Referência: http://www.uptodate.com/contents/clinical-manifestations-and-diagnosis-of-gastroesophageal-reflux-in-adults?source=search_result&search=gerd+diagnosis&selectedTitle=1~150

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum