Direcionamento da anamnese e exame físico de paciente com queixa de zumbido. Possíveis causas.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Direcionamento da anamnese e exame físico de paciente com queixa de zumbido. Possíveis causas.

Mensagem  Natália Corrêa em Sab Out 04, 2014 7:28 am

Anamnese

Investigar:
- Ruído constante ou intermitente, sem fonte externa;
- Caracterização do ruído varia: zumbido; zunido; semelhante a um cantar de grilo; sibilante; assobiando; cantarolando; rugindo; nota musical; assobio de vapor; pulsante; apressando; crepitação; latejante; sibilante; clique; batendo; tinindo; semelhante a um estouro.
- Paciente pode se queixar de dor de ouvido ou sensação de plenitude.
- História da doença atual:
• pedir paciente para descrever zumbido;
• intermitente ou constante?
• unilateral ou bilateral?
• alta-frequência ou baixa frequência?
• pulsátil ou fixo?
• início gradual ou súbita?
• duração?
• associado audiência vertigem perda ou dor?
• o que afeta o zumbido, como
• ruído de fundo?
• álcool?
• stress?
• insônia?
• que sons de máscara, como a corrida de água no chuveiro, proporcionar alívio?
• quaisquer medicamentos ou outros fatores que proporcionam alívio?
• avaliar a gravidade: pode ser caracterizado por:
- quanto ou quão frequentemente paciente está incomodado;
- quanto ou quão frequentemente zumbido prejudica a qualidade de vida
• Índice de gravidade do zumbido pode ser usado como:
- instrumento de impressão para a auto-administração;
- pontuação ≥ 36 indica o nível de incômodo da gravidade, os escores mais altos indicam percepção de debilitante problema.
• perguntar sobre a exposição ao ruído alto (ocupacional ou recreacional)
• muitos pacientes com alteração relatório zumbido na intensidade do zumbido a partir de apertamento da mandíbula; pressão craniana; movimentos oculares
• Histórico de medicação:
- perguntar sobre o uso de medicamentos ototóxicos.
• Histórico médico (PMH):
- perguntar sobre a história de: infecções de ouvido; cirurgia otológica ; ferimentos na cabeça.
- perguntar sobre as condições que contribuem para a perda de audição e zumbido: Hipertensão; hipotireoidismo; diabetes mellitus; arteriosclerose; doenças auto-imunes (por exemplo, lúpus eritematoso sistémico, artrite reumatóide).
- perguntar sobre a história da saúde mental: ansiedade; depressão; transtorno obsessivo-compulsivo; psicose.
• História familiar (FH):
- perguntar se os membros da família têm perda ou zumbidos.

Exame físico:

- COONG: foco na cabeça e pescoço, com especial atenção para: cavidade oral; ouvido externo; membrana timpânica; nervos cranianos, especialmente V, VII, VIII; articulação temporomandibular.  
- ausculta da região perioral pode detectar fonte de zumbido pulsátil;
- avaliar a associação de sons periódicas com movimentos palatais;
- algumas neoplasias podem ser visíveis na otoscopia;
- tumor glômico timpânico - massa pulsátil avermelhada atrás da membrana timpânica intacta;
- tumor glômico jugulotympanicum - tumor glômico jugular que se estende além da fossa jugular superiormente no ouvido médio pescoço;
- ausculta de múrmurio venoso ou outros sopros em artérias carótidas podem detectar fonte de zumbido pulsátil.

Exame neurológico deve incluir:

- Manobra de Dix-Hallpike (se vertigem presente);
- Manobra de Dix-Hallpike também chamado de manobra Nylen-Barany, manobra de Barany, manobra Hallpike-Dix;
- Teste de marcha;
- Teste de Romberg;
- Os testes de função dos nervos cranianos.

Causas otológicas: Perda auditiva induzida por ruído; deficiência auditiva em idosos (presbiacusia); otosclerose; otite; otite externa; otite média aguda; otite média crônica supurativa; otite média com efusão; impactação de cerúmen; surdez súbita;Doença de Ménière ; colesteatoma ; outras causas de perda auditiva.

Ototóxicos: salicilatos; medicamentos anti-inflamatórios não esteróides (AINEs); antibióticos aminoglicosídeos; diuréticos de alça; valproato; quinino.

Agentes quimioterápicos: por exemplo, cisplatina e vincristina.

Metais pesados: tais como chumbo; lista completa dos medicamentos que causam perda de audição e zumbido disponível na brochura do Centro de Audição e Comunicação 2012 12 de julho PDF (antiga Liga Para Deficientes Auditivos).

Zumbido subjetivo: Acima para causas otológicos e agentes ototóxicos.

Causas neurológicas: lesão cerebral; whiplash (entorse cervical); A esclerose múltipla (EM); neuroma acústico (schwannoma vestibular); outros tumores do ângulo ponto cerebelar.

Causas infecciosas: otite; otite externa; otite média aguda; otite média crônica supurativa otite média com efusão, seqüelas da doença de Lyme; meningite; neurosyphilis.

Causas metabólicas: hipotireoidismo; hipertireoidismo; diabetes mellitus.

Causas vasculares: hipertensão ou hipotensão; arteriosclerose; aneurisma cerebral; acidente vascular cerebral.

Outras causas: disfunção da articulação temporomandibular; problemas dentários; perda auditiva auto-imune; disposição genética; lesão do nervo durante a cirurgia; otorrinolaringológica.

Se zumbido pulsátil: estenose carotídea; malformação arteriovenosa; tumores vasculares, tais como glômus jugular doença cardíaca valvular, estenose aórtica, especialmente estados de alto débito cardíaco, como anemia; doença de Paget do osso (osso temporal);  esclerose múltipla; malformações de Chiari; fístula arteriovenosa congênita; shunt arteriovenoso adquirido ; artéria carótida de alta equitação; artéria estapediana persistente; bulbo jugular deiscente; loop (anterior ou artéria comunicante posterior inferior) compressão vascular do nervo auditivo; outras condições que causam o fluxo sanguíneo turbulento; malformação arteriovenosa ou fístula arteriovenosa considerada uma causa frequente de zumbido pulsátil em pacientes com otoscopia normal.  

Zumbido muscular ou anatômica: mioclonia palatal; espasmo de estapédio ou músculo tensor do tímpano; trompa de Eustáquio patulous.

Espontâneas emissões otoacústicas: emissões otoacústicas espontâneas, mas reportado ocorrer em cerca de 40% dos seres humanos com audição normal.


Folmer et al. Tinnitus: Questions to reveal the cause, answers to provide relief. The Journal of Family Practice. JULY 2004 / VOL 53, NO 7.

Bhattacharyya et al. Clinical practice guideline: Benign paroxysmal positional vertigo. Otolaryngol Head Neck Surg 2008 Nov; 139 (5 Suppl 4): S47.

Folmer, RL. BMC Ear Nose Throat Disord 2002 Sep 16;2(1):3.

Natália Corrêa

Mensagens : 7
Data de inscrição : 20/08/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum